Disfagia: tratamento adequado permite prevenir desnutrição e pneumonia

A disfagia é uma doença que caracteriza pela dificuldade de engolir alimentos ou líquidos. Ele pode estar associado a diversas doenças e pode ser também um problema temporário, em pessoas submetidas a algumas cirurgias, por exemplo. A pessoa com disfagia tem a sensação de que a comida ou o líquido estão presos na boca, na garganta ou no esôfago. Estudos mostram que 6 em cada 10 pessoas são acometidas com o problema, especialmente os idosos.

Por isso, 20 de Março é o Dia Nacional de Atenção à Disfagia. O profissional capacitado para avaliar e reabilitar o processo de deglutição é o fonoaudiólogo que paciente poderá realizar adaptações na dieta, introduzir exercícios musculares ou treinar manobras para que a deglutição seja restabelecida ou adaptada no caso de alterações anatômicas, por exemplo. Segundo a equipe de Fonoaudiologia do Hospital Santa Paula, a abordagem da disfagia é multidisciplinar, realizada por médicos, nutricionistas, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos.

“Os profissionais devem trabalhar em conjunto para que as condutas necessárias sejam traçadas precocemente, prevenindo complicações como a desnutrição e a pneumonia aspirativa que podem favorecer o aumento de morbidade e mortalidade”, afirma a Coordenadora da Fonoaudiologia do Santa Paula, Gleika Lima.

Seis em cada 10 pessoas sofrem de disfagia

Sinais da Disfagia:

  • Tosse e engasgos durante ou após a alimentação;
  • Sensação de bolo na garganta;
  • Alimentação muito lenta;
  • Falta de apetite e perda de peso;
  • Cansaço durante a alimentação;
  • Alimentos e saliva que escapam da boca;
  • Dificuldade em mastigar ou controlar os alimentos ou líquidos na boca
  • Pneumonias de repetição e febre sem causa aparente