Tratamento com Lutécio

TRATAMENTO DE TUMORES NEUROENDÓCRINOS COM LUTÉCIO-177

Pouco conhecido e raro entre a população, o tumor neuroendócrino é uma proliferação anormal de células neuroendócrinas – linhagem de células com funções distintas dependendo do órgão em que se encontram. Podem surgir na maior parte dos órgãos do corpo, porém mais de dois terços têm sua origem no estômago, intestino (delgado ou grosso) e pâncreas. Não se conhece a causa exata deste tumor, e geralmente possuem crescimento lento e muitas vezes assintomático e indolor, dificultando e atrasando seu diagnóstico.

Existem diversos tratamentos para esse tipo de tumor, inicialmente com cirurgia, outros casos com quimioterapia, embolização de metástases no fígado, uso de medicações com análogos de somatostatina e terapia com Lutécio-177, realizada pela medicina nuclear.

O tratamento com Lutécio-177 é feito em ambiente hospitalar, com o paciente internado por cerca de 24 horas. Antes da medicação específica serão realizados exames laboratoriais, administrado medicações para enjoo e uma solução de aminoácidos para proteger a função dos rins. O Lutécio é administrado na veia do paciente por cerca de 30 minutos. A terapia completa engloba 4 (quatro) ciclos de tratamento com intervalo médio de 6-10 semanas, na dependência dos exames de sangue do paciente. A equipe da medicina nuclear em conjunto com a oncologia serão os responsáveis pelo acompanhamento.

Todos profissionais envolvidos receberam treinamento específico e intensivo para atender esses pacientes, visando a excelência no atendimento. O Hospital Santa Paula é um dos poucos centros de referência para realizar terapia com Lutécio-177 em São Paulo, sendo o primeiro hospital privado a disponibilizar esse tratamento.

Os resultados da terapia realizada com o Lutécio-177 são muito positivos. Os números em alguns centros internacionais apontam para aproximadamente 35% de resposta, com aumento da sobrevida dos pacientes e melhora da sua qualidade de vida.