Saúde nas férias: cuidados simples podem garantir viagens sem imprevistos

Julho é mês de férias escolares. Seja o mês todo ou só em uma parte dele, muitos pais e responsáveis aproveitam para viajar com as crianças e os adolescentes. Para ter passeios tranquilos e minimizar o surgimento de imprevistos, alguns cuidados com a saúde são muito importantes. A primeira recomendação, e que vale para qualquer viagem, é observar se está levando medicação suficiente para todo o período de férias. Alguns países são bem restritivos até mesmo com medicamentos que no Brasil são vendidos sem a necessidade de receita médica. Em trajetos por aviões, ônibus ou navios remédios devem estar na bagagem de mão.

Orientações para passeios via rodovias, aéreo e marítimo

Longas horas de viagem na mesma posição favorecem o surgimento de problemas circulatórios. Para evitar complicações, a cada duas horas a pessoa deve fazer uma pausa para caminhar por 5 minutos e melhorar a circulação sanguínea nas pernas. Essa parada também permitirá respirar mais calmamente, melhorando a oxigenação cerebral e dos órgãos. No avião, algumas pessoas sentem dor no ouvido devido à pressurização da aeronave e ao ar mais rarefeito. O soro fisiológico e o descongestionante nasal podem ser aliados no combate ao problema, basta aplicá-los antes do embarque.

De acordo com o cardiologista e diretor médico do Hospital Santa Paula, referência na Zona Sul da capital paulista, Otavio Gebara, trajetos feitos com outros modais de transporte também merecem atenção. “Viagens de carro, ônibus e navio podem causar enjoo em algumas pessoas. É recomendável fazer uma refeição leve antes de embarcar, evitar refrigerantes, comidas gordurosas e excessivamente temperadas.” Se recomendado por um médico, pode ser feito o uso de medicamentos antieméticos, que atuam aliviando as náuseas. “Importante lembrar também que comer muito antes de dirigir aumenta a chance de sentir sono no percurso. Em contrapartida, ingerir líquidos como água ou suco durante a viagem melhora a circulação sanguínea e reduz a vontade de dormir”, reforça o especialista.

Jet Lag, doenças locais e cuidados de sempre

Quem parte para locais com fusos horários muito diferentes do que está habituado sofre com os efeitos do famoso e incômodo jet lag. O cardiologista e diretor médico do Hospital Santa Paula, Otavio Gebara, dá dicas para evitar transtornos. “Neste caso, os viajantes podem fazer uma adaptação gradativa de três a quatro dias antes da viagem para evitar cansaço e sonolência excessivos, insônia, irritabilidade, fome incompatível, dor de cabeça e mal-estar. Estar informado sobre as doenças locais é outro fator importante para manter a saúde após o desembarque. O viajante deve estar com a carteira de vacinação em dia e, em alguns casos, optar também pelo uso de repelentes”, frisa Dr. Gebara.

Todos, sem exceção de idade e destino do passeio, devem usar chapéu, protetor solar e óculos escuros, principalmente entre 10h e 16h. O filtro solar deve ser usado diariamente, em todas as estações do ano. É importante que o produto proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. O filtro deve ser espalhado de maneira uniforme de 15 a 30 minutos antes da exposição e reaplicado a cada duas horas em atividades de lazer ao ar livre (e depois de cada mergulho ou suor excessivo) para obter a proteção adequada.

Importante também observar que ter diarreia na viagem de férias é algo mais comum do que se imagina, especialmente em outros países. A grande inimiga é a água da torneira, que pode possuir bactérias desconhecidas. Por essa razão, as pessoas devem priorizar o consumo de água filtrada ou com gás, que possui uma propriedade capaz reduzir o pH (grau de acidez) do estômago e eliminar as bactérias presentes no sistema gastrointestinal. Esse cuidado deve ser estendido ao escovar os dentes e cozinhar.

Para mais informações, o Ministério da Saúde tem uma página dedicada à saúde do viajante no link http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-do-viajante.

Fonte: Dr. Otavio Gebara, cardiologista e diretor médico do Hospital Santa Paula.