Mês Internacional de Combate ao Melanoma

A Dra. Monica de Mello, do Instituto de Oncologia Santa Paula, selecionou 4 dúvidas frequentes sobre a doença. Confira abaixo:

1 – Quais os primeiros sinais do câncer de pele?

O câncer de pele é uma doença silenciosa, então é importante ficar atento a pintas ou sinais suspeitos. A doença pode se assemelhar a pintas, eczemas, lesões, uma crosta central e que sangra facilmente, uma pinta preta ou castanha que muda de cor, pinta com bordas irregulares, pinta que aumenta de tamanho, mancha ou ferida que não cicatrizam etc. Recomenda-se consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

2 – Como prevenir?

Este câncer, ao contrário de muitos outros, pode ser prevenido na maioria dos casos com o uso de chapéus, camisetas e protetor solar. Se possível, evite a exposição solar entre 10h e 16h. O filtro solar deve ser usado diariamente, em todas as estações do ano, e não somente em horários de lazer ou diversão. É importante que o produto proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. A reaplicação deve ser realizada a cada 2h em atividades ao ar livre ou de manhã e antes de sair para o trabalho.

3 – Existe um grupo de risco para o câncer de pele?

Sim, pessoas de pele clara e sardas são mais suscetíveis. Também devem ficar alertas os indivíduos com antecedentes familiares com histórico da doença, pessoas que sofreram queimaduras solares, pessoas com pintas e aquelas com incapacidade para bronzear.

4 – Como é o tratamento?

Há diversas opções terapêuticas para o tratamento do câncer da pele não-melanoma, tais como radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e as medicações orais e atópicas. O tratamento varia conforme o tipo e a extensão da doença.

#CuidesePlenamente