Importância de tratar a congestão nasal

“Ela ocorre quando as cavidades do nariz ficam inchadas e apresentam uma produção aumentada do muco respiratório. É uma resposta comum do organismo a infecções (como resfriado e sinusite), traumatismo, ou alergia”, explica o otorrinolaringologista Rafael Raposo, do Hospital Santa Paula.
Da mesma forma, a obstrução nasal pode ser causada por alterações anatômicas no nariz, como o desvio de septo nasal.
Por isso, é importante ter o acompanhamento de um especialista para indicar o melhor tratamento, que pode incluir cirurgias corretivas.

CONSEQUÊNCIAS DA CONGESTÃO NASAL

Geralmente, a obstrução do nariz passageira, mas em casos persistentes pode provocar uma deficiência na drenagem das secreções dos seios da face e até evoluir para um quadro infeccioso e doloroso, como a sinusite aguda.
Por outro lado, a dificuldade de respirar durante o sono também pode causar um distúrbio respiratório chamado Apneia Obstrutiva do Sono. “Além de impedir o sono de ser profundo e reparador, causando muita sonolência, em longo prazo pode determinar alterações circulatórias, como hipertensão arterial e arritmias cardíacas”.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO

Fazer uma avaliação com Médico Otorrinolaringologista a prevenir e a diagnosticar alterações anatômicas ou doenças crônicas nasais. A hidratação diária e lavagem do nariz com soluções fisiológicas também ajudam. “Essas ações mantêm fluido o muco produzido pelas vias respiratórias”, explica o especialista.
Bons hábitos de alimentação e saúde são outros fatores protetores. “Manter um bom nível de imunidade com uma dieta rica em alimentos que contenham vitamina C e Zinco previnem os quadros infecciosos. Além disso, evitar o contato com agentes irritantes nasais, como fumaça e produtos de limpeza previne rinite”. Há ainda a recomendação de ingerir 2 litros de água por dia, para manter o organismo hidratado.

Segundo o especialista, o tratamento da congestão nasal envolve o uso de medicações, tanto nasais quanto por via oral, e passa pela avaliação médica para diagnosticar a causa e indicação de tratamento específico para o quadro clínico. “A respiração nasal é essencial para o bom funcionamento das nossas defesas respiratórias, por isso, a congestão nasal apesar de muito comum não deve ser menosprezada”. A automedicação pode complicar o quadro clínico, sendo assim, procure sempre a orientação de um especialista.

Fonte: Rafael Raposo, otorrinolaringologista do Santa Paula, e Revista Sorria, Droga Raia.