Dúvidas frequentes

A Síndrome de Guillain Barrè uma doença na qual ocorre inflamação dos nervos do corpo. A inflamação é causada pelo próprio sistema imunológico do indivíduo, que passa a atacar os nervos do corpo, lesionando-os, de forma que passam a ter dificuldade de mandar informações para o cérebro ou de transmitir informações provenientes dele.
A Síndrome se manifesta principalmente por fraqueza e/ou formigamento e/ou dormência. Esses sintomas geralmente começam pelos pés. Conforme a doença progride, esses sintomas acometem pernas, coxas, quadris, mãos braços. Nos casos mais graves, a fraqueza pode impedir o paciente de andar e ainda pode paralisar os músculos da respiração. Existem formas mais raras que podem começar com quadro de perda da coordenação das mãos, dificuldade de equilíbrio e visão dupla.
Geralmente ocorre após uma infecção intestinal ou do nariz e garganta, porém a presença dessa infecção na história do paciente não é obrigatória. A SGB ocorre porque o sistema imunológico do paciente ataca partes do corpo que não deveria, ou seja, é uma doença autoimune. O motivo exato que faz começar esse ataque ainda não é completamente conhecimento.
O tratamento é feito no hospital e está indicados nos paciente que estão perdendo os movimentos rapidamente, tendo dificuldades para andar e respirar. Existem dois principais tratamentos: a Imunoglobulina Humana e a Plasmaferese. O resultados dos dois é praticamente o mesmo. A escolha entre um e outro depende de cada paciente.

a) A Imunoglobulina Humana é produzida a partir do sangue que é doado nos bancos de sangue. Nela existe uma altíssima concentração de anticorpos. O objetivo dela é usar esses anticorpos para neutralizar os anticorpos e a inflamação anormal que está acontecendo no corpo do doente.

b) A Plasmaferese é um procedimento de filtração do sangue. Nele é passado um cateter, um acesso venoso igual ao usado para fazer hemodiálise (não é a fístula para hemodiálise), e então o sangue do paciente passa em uma máquina que retira a parte líquida do sangue, substituindo-a por soro e proteína (albumina). Dessa forma conseguimos eliminar os anticorpos que estavam atacando os nervos do corpo.

A SGB é uma doença auto-limitada. Seu tempo de atividade dura até quatro semanas, porém a recuperação da sequelas deixadas pode levar meses. Se o paciente continuar a piorar dos sintomas após 4 semanas, ele deve ser reavaliado por médico neurologista pois pode ter uma doença crônicas dos nervos, não autolimitada, que necessitará de tratamento prolongado.
SGB é uma doença que ocorre em todo mundo, afetando adultos e crianças, homens e mulheres, independente da classe social e hábitos de vida, parecendo ser mais freqüente com o avançar da idade e mais comum nos homens. No Brasil, observamos aumento dos casos relacionados com a ocorrência de infecção por Zika e Chikungunya. Não existe método eficaz de prevenção para SBG.
É um medicamento produzido a partir de uma bactéria chamada Clostridium botulinum. Essa bactéria é a causadora de um intoxicação grave chamada de Botulismo, cujos sintomas são dificuldade para engolir e falar, fraqueza generalizada, palpebras caída, dificuldade para respirar e perda dos movimentos do corpo.
A toxina tem diversos usos, como por exemplo: tratamento de rigidez muscular (espasticidade), tratamento do estrabismo (desalinhamento os olhos), movimentos involuntários de partes do corpo – braços pescoço, rosto e perna (distonias, blefaroespasmos e espasmo hemifacial), bruxismo, tratamento de rugas, de suor excessivo, perda urinária involuntária por causa de doença neurológica e até para enxaqueca crônica (que é um tipo de dor de cabeça).
A toxina deve ser aplicada apenas por médico que tenha passado por treinamento específico para o diagnóstico das doenças que possam ser tratadas com a toxina botulínica.
Os plano de saúde são obrigados a cobrir o tratamento com toxina botulínica para os casos de rigidez muscular excessiva (espasticidade), movimentos anormais do corpo (distonias, blefaroespasmos e espasmo hemifacial) e para funcionamento anormal de bexiga (bexiga neurogênica). Se tiver dúvidas, basta olhar o ROL DE PROCEDIMENTOS E EVENTOS EM SAÚDE publicado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar.
Depende do tipo de tratamento e de quanta toxina cada paciente vai precisar. O melhor é sempre passar por avaliação do médico e se informar sobre os preços. No mercado brasileiro, existem diferentes toxinas comercializadas, com preços diferentes. Isso também tem impacto no valor final da conta.
O Hospital Santa Paula conta com um serviço exclusivo para a avaliação de indicação de toxina botulínica, aplicação e acompanhamento. Basta ligar e agenda uma avaliação. Na impossibilidade de ser tratado conosco, entre em contato com sua seguradora de saúde. Na rede pública existem serviços que oferecem esse tratamento. Informe-se na Unidade Básica de Saúde mais próxima da sua casa.
Os principais efeitos colaterais da aplicação é dor e hematoma no local. Pode ocorrer alguma fraqueza no corpo nas primeiras semanas, em especial nos pacientes que usam doses elevadas – se isso acontecer, comunique seu médico. Gestante, mulheres durante a amamentação, menores de 2 anos e paciente com doenças dos músculos não devem usar o medicamento.